Como proteger o seu cão contra pulgas e carrapatos

Please log in or register to like posts.
News

Pulgas, carrapatos e outros parasitas são a última coisa que você quer ver na sua casa e no seu cão, embora eles sejam um risco constante para os cães durante toda sua vida. Portanto, é importante ser proativo e se prevenir contra a presença de parasitas no seu companheiro.

O primeiro passo para proteger sua casa e o seu cão contra pulgas e carrapatos deve ser conversar com o veterinário sobre as opções de prevenção e proteção. Você também deve ser capaz de reconhecer os sinais da presença de pulgas e carrapatos no seu cão, pois isso o ajudará a colocar em prática o tratamento de proteção adequado.

Pulgas em cães

As pulgas são pequenas, e pode ser difícil detectá-las no pelo do cachorro — talvez você perceba sua presença em si mesmo antes de identificá-las no seu cão! As pulgas e suas mordidas são desagradáveis para o cão e podem causar coceira acentuada, perda de pelos e, em alguns casos, reações alérgicas.

As pulgas podem representar um grande risco para o seu lar, pois uma única pulga pode colocar de 40 a 50 ovos por dia, infestando a casa e o ambiente do seu cão. As larvas das pulgas se refugiam na roupa de cama e nos carpetes, e podem ficar inativas por longos períodos. Para controlar a infestação e interromper seu ciclo de vida, é necessário aplicar um processo de proteção com duração de 12 semanas.

Os sinais da presença de pulgas em cães incluem:

  • Coceira e lambidas excessivas
  • Dermatite alérgica (feridas ou erupções vermelhas e inflamadas)
  • Excreções de pulga — pequenos pontos marrons na pele ou pelo do cachorro
  • Perda de pelos

Fleas on dogs

Carrapatos em cães

Os carrapatos são outro problema comum de infestação em animais domésticos. Eles parecem um pouco com pequenas aranhas, mas têm um corpo em formato oval. Eles são pragas sugadoras de sangue e seus corpos se expandem conforme se alimentam. Os carrapatos podem transmitir doenças, como a doença de Lyme, uma infecção bacteriana que pode causar febre, claudicação, letargia e inchaço ou dor nas articulações.

Como os carrapatos podem ser veículos de bactérias e de outros agentes que causam doenças, eles devem ser removidos, pois representam um risco para você e para o seu cão.

Sinais da presença de carrapatos:

  • O animal se lambe ou se morde excessivamente
  • O animal balança muito a cabeça
  • Um pequeno “caroço com pernas”, que você ver ou sentir ao acariciar o cachorro

 

Se vir algum desses sinais, verifique o seu cão, inclusive olhando dentro das orelhas e repartindo a pelagem para olhar com mais cuidado. Se encontrar um carrapato na sua casa, durante a limpeza, verifique o cachorro.

Se o seu cão tem pulgas ou carrapatos, o veterinário poderá orientar você sobre o melhor curso de tratamento. Há muitas opções disponíveis para os donos de animais de estimação, incluindo aplicações pontuais e petiscos. Escolha a forma que melhor funcionará para você e para o seu cachorro.

Como remover um carrapato

Coloque luvas de borracha ou látex para reduzir as chances de ser infetado pelo carrapato. Pegue um par de pinças e segure o carrapato o mais próximo possível da pele, sem machucar ou beliscar o cão. Puxe o carrapato, tomando cuidado para não torcê-lo ou esmagá-lo, e confirme se ele foi removido da pele do seu cachorro.

Se algum resíduo ficar na pele, leve o cão ao veterinário. Se não se sentir confiante para remover o carrapato, visite o seu veterinário para que ele possa ajudá-lo.

Como proteger sua casa contra pulgas e carrapatos

É perfeitamente normal se preocupar com pulgas e carrapatos na sua casa, mas há medidas que você pode tomar para reduzir as chances de infestação desses parasitas e proteger o seu cão.

Para reduzir o risco de proliferação de pulgas e carrapatos na sua residência, aspire a casa regularmente e lave a roupa de cama do seu cachorro pelo menos uma vez por semana.

Combinados com tratamentos eficazes de controle, essas medidas simples reduzirão muito a probabilidade de que o seu cão se torne um hospedeiro de pulgas e carrapatos.

As pulgas podem ser levadas para dentro da sua casa pelo seu cachorro, por um membro da sua família ou por visitantes humanos e animais. Se encontrar pulgas em casa, não espere até que mais delas apareçam. Encontrar uma é um sinal de que há outras, e as pulgas podem se multiplicar rapidamente. Se estiverem no seu cão, você poderá buscar nele os sinais de infestação, como coceira excessiva e excrementos de pulgas, que parecem uma sujeira fina sobre o pelo. Uma maneira de descobrir se os pequenos pontos escuros são excremento de pulga é colocá-los sobre uma toalha de papel branca e adicionar uma ou duas gotas de água. A cor vermelha do sangue digerido rapidamente aparecerá ao redor do excremento de pulgas na toalha.

Por outro lado, os carrapatos geralmente são levados para dentro de casa pelo seu cachorro, pois pegam carona agarrados ao pelo do cão. Uma boa ideia para ajudar a reduzir os riscos de carrapatos é escovar o seu cão após passear e antes de entrar em casa. Também há um tipo de carrapato, conhecido como carrapato marrom dos cães, que pode ser encontrado dentro de edificações.

Preventing fleas and ticks

Como prevenir pulgas e carrapatos

Muitos acreditam que pulgas e carrapatos são um problema do verão, e que a prevenção só é necessária nos meses mais quentes do ano. Embora as pulgas certamente prefiram condições de calor e umidade, o uso dos modernos sistemas de aquecimento central proporcionar o ambiente perfeito para sua proliferação durante todo o ano. Cuidar do seu animal de estimação e evitar parasitas o ano todo é uma medida segura e eficaz, pois há opções de controle mais fáceis e convenientes disponíveis.

Utilizar um tratamento duradouro, que tenha ação rápida e seja fácil de aplicar permitirá que você fique livre de preocupações e seguro, sabendo que o seu cão estará protegido contra os parasitas no longo prazo. Praticar um controle adequado e conveniente significa que você zela pelo bem-estar do seu cachorro, reduzindo o risco de irritações e a exposição a doenças transmissíveis. Pergunte ao veterinário sobre os tratamentos e converse sobre as opções disponíveis.

Reactions

0
0
0
0
0
0
Already reacted for this post.

Seja o primeiro a curtir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *