21/07/2020

Os Animais Amam Incondicionalmente.

Por Animais Valiosos Tudo Sobre Animais

Os Animais Amam Incondicionalmente

Os animais amam incondicionalmente. Isso é fato! Sentimentos, pensamentos e ações: isso é tudo de que precisamos para descrever a essência de um animal, certo?

Não resta dúvida de que os animais agem, e já não negamos mais que eles têm sentimentos.

No caso dos animais domésticos, existem inúmeros exemplos de cães e gatos que praticamente forçam a criação de vínculos com seres humanos.

A relação começa com uma união forçada, com os animais sendo levados para casa e sendo obrigados a passar alguns dias sem sair ou passeando de coleira. Até que, em certo momento, eles se acostumam com os donos.

Pronto!

Eles estão amando seus donos de forma incondicional. E, mesmo que recuperem a liberdade e podem fugir quando quiserem, não o fazem. Porque amam incondicionalmente.

Podemos considerar a gratidão um sentimento próximo do amor, e estou certo de que os animais também têm esse sentimento. Qualquer dono de um cão adotado que tenha passado por dificuldades pode confirmar isso.

Neste artigo vamos falar do amor de animais de estimação e de animais selvagens que não podemos levar para casa mas, mesmo assim, podemos sentir o amor deles pelos humanos.

Os Golfinhos Demostram Amor

A maioria das amizades entre animais selvagens e seres humanos ocorre no mar – entre pessoas e golfinhos.

Um dos casos mais conhecidos é o de Fungie, que vive na baía de Dingle, Irlanda (https://www.welt.de/wissenschaft/umwelt/article13782386/Mit-diesem-Delfin-stimmt-etwas-nicht.html).  Com frequência, ele é visto acompanhando pequenos barcos de passeio e dando cambalhotas para os visitantes.

Tornou-se uma verdadeira atração turística da região, chegando a ser anunciado em panfletos oficiais de turismo.

É possível entrar na água com ele sem medo: Fungie nada com as pessoas e lhes proporciona momentos de grande felicidade. E o mais importante é que é dócil sem esperar nada em troca – na verdade, rejeita alimentos.

Fungie mora há mais de 30 anos na baía de Dingle, e é difícil imaginar a vida na cidade sem ele.

A maioria das pessoas acha essa história comovente, mas não todas. O jornal alemão Die Welt perguntou a cientistas se o golfinho não seria simplesmente louco. Será que o solitário animal estabelece contato com seres humanos porque os outros golfinhos o rejeitam?

As Abelhas Amam

É difícil estabelecer uma boa relação com insetos; quando eles picam ou ferroam, a antipatia é quase automática.

Porém, pesquisas revelam que as abelhas são capazes de se lembrar perfeitamente de pessoas: elas atacam quem as incomodou no passado e permitem a aproximação de quem nunca tentou prejudicá-las.

O professor Randolf Menzel, da Universidade Livre de Berlim, (https://www.fu-berlin.de/en/presse/informationen/fup/2014/fup_14_092-bienenorientierung-pestizidepublikation-menzel/index.html)  fez outras descobertas incríveis: as abelhas que deixam a colmeia pela primeira vez usam o sol como uma espécie de bússola.

Com a ajuda dele, desenvolvem um mapa mental da paisagem ao redor de sua casa e o utilizam para anotar suas rotas de voo.

Em outras palavras, têm uma ideia de como é o mundo a seu redor. Nesse sentido, se orientam de forma semelhante ao ser humano, que também possui um mapa interno.

Em relação ao sexo oposto das abelhas, o zangão, um fato é bem interessante. Para as abelhas, o zangão serve apenas para acasalar. Quando isso acontece, ou não, no fim do verão, eles são massacrados, pois não tem mais serventia.

Os Cavalos Amam

Os cavalos são animais muito sociais que, na natureza, vivem em haréns (garanhão, fêmeas e potros) ou em bandas de solteiro (garanhões jovens ou velhos sem harém)

Pesquisas apontam (https://www.nature.com/articles/srep09989) que  os cavalos podem expressar afeto com o relincho.

Os cientistas da universidade ETH Zurique descobriram que, mesmo em emissões vocais aparentemente primitivas, havia muito mais significado do que se sabia até então. Acontece que os relinchos contêm duas frequências básicas que transmitem informações complexas.

A primeira frequência indica se é um sentimento positivo ou negativo, e a segunda, a força desse sentimento.

Os cavalos demostram seus sentimentos ainda pelo olhar. Estudos mostram que a equoterapia, um tipo de terapia com cavalos que serve para estimular o desenvolvimento da mente e do corpo, serve para complementar o tratamento de indivíduos com deficiências ou necessidades especiais, como a síndrome de Down, paralisia cerebral, derrame, esclerose múltipla, hiperatividade, autismo, crianças muito agitadas ou com dificuldade de concentração, por exemplo.

O Corvo é um Animal Fiel a Sua Espécie

Os corvos é um animal que vive mais de 20 anos, são fiéis e permanecem com o mesmo parceiro por toda a vida.

Nesse caso, faz sentido falar de um verdadeiro casamento animal. Não de um humano e um animal, mas entre os da mesma espécie.

Se um membro do casal fosse baleado ou envenenado, normalmente o outro não procurava um novo parceiro; em vez disso, passava a voar sozinho pelos céus. Com isso, o grande número de solteiros não procriava, contribuindo para acelerar o fim da espécie.

Hoje em dia, porém, a espécie se encontra sob proteção rigorosa e voltou a povoar seus antigos habitats.

Os Animais Amam e são Amados

Os animais amam e nunca cansam de amar. Quem se lembra do caso do cão de raça Akita, que ficou famoso por esperar pelo dono todos os dias na estação de trem, mesmo após nove anos de ele já ter morrido. Sua história foi tema de inúmeros livros e filmes.

A antropóloga Helen Fisher, em seu livro Por Que Amamos, diz existir uma química na atração animal. Segundo ela, todos os pássaros e mamíferos são dotados de formas semelhantes de dopamina e noradrenalina, bem como estruturas cerebrais semelhantes ao humano quando o assunto é amar. Embora as estruturas e os circuitos do cérebro variem de espécie para espécie.

Não podemos deixar de contar a história de Toldo, um gato cinza e branco de três anos que, frequentava todos os dias ao túmulo de seu dono, que morreu há mais de um ano. Essa realidade de Toldo comoveu os habitantes da pequena cidade de Marliana, na Toscana, região central da Itália.

Podemos concluir que, os animais têm desempenhado um papel importante na experiência humana desde o início de nossa vida na terra: eles nos alegram, fornecem ensinamentos, ajudam em várias tarefas e até salvam nossas vidas.

Ainda temos muito a aprender sobre eles, de sua lealdade desinteressada e sua capacidade de amar incondicionalmente. &&&&&&&&&&&&&&&&&

Compartilhe a Ideia Na sua rede social.